Reconstrução do terraço-jardim do Instituto de Resseguros do Brasil

Destruído na década de 1980, o terraço-jardim ganhou outros usos e manteve esse apecto até 2015 quando iniciaram as obras de restauração do prédio. A partir dessa inciativa, o IRB convidou os responsáveis pelo acervo do Projeto Paulo Werneck para a reconstrução. A obra de instalação dos murais ficou a cargo da arquiteta Isabel Ruas e sua Oficina de Mosaicos, com supervisão de Claudia e Gaspar Saldanha.

No terraço-jardim há de fato um jardim. Um jardim em que flores, plantas, areia branca, pó de tijolo, lascas de pedra, águas, se dispõem seguindo formas abstratas. E nas paredes que limitam o terraço, o artista Paulo Werneck, solto, sem peias, fazendo ressurgir uma velha expressão de arte absurdamente em desuso, executou maravilhosos painéis em mosaico que seriam sufi cientes para celebrar um edifício.
Marcelo Roberto
Arquitetura – Revista do Instituto de Arquitetos do Brasil, n° 28. 1964.

Plantas baixas originais foram usadas para definir a localização do lago e dos canteiros do jardim. Estudos originais dos murais, desenhados a cores por Paulo Werneck, foram imprescindíveis para a reconstrução mas não foram suficientes para definir suas escalas e localização. Após uma extensa pesquisa, empreendida pelo Projeto Paulo Werneck, que incluiu reportagens e fotografias encontradas nas bibliotecas da cidade, constatou-se a configuração original dos murais. Usando pastilhas de mosaico do acervo do artista como referência, conseguiu-se reproduzir as cores e texturas criadas pelo artista.

 

Os sete murais instalados no terraço-jardim, os primeiros da carreira de Paulo Werneck, são representativos de tres estilos que definiram a longa trajetória do artista – figurativo, abstrato e geométrico.